Cookie Consent by Free Privacy Policy website Zoologia | Phylum Echinodermata Pular para o conteúdo principal

Zoologia | Phylum Echinodermata

Este filo é conhecido por uma característica marcante presente em seus representantes, um corpo repleto de espinhos. Os Echinodermata podem ser representados pelas Estrelas-do-mar, Ouriços-do-mar; Pepinos-do-mar; Serpentes-do-mar e Bolachas-da-praia.



Figura 1 - Estrela-do-mar.

Os equinodermos são organismos triblásticos celomados e deuterostômios predadores, necrófagos ou filtradores. Ele possuem simetria bilateral (fase larval) e radial (fase adulta). A bilateralidade da sua simetria comprova a existência de um sistema nervoso centralizado. Contudo, a metamorfose necessária para atingir a fase adulta altera a simetria corporal do animal, que passa a ser pentarradial, ou seja, baseada em cinco, ou múltiplos de cinco, eixos de simetria.

Esses animais apresentam sistema digestório completo, com a boca posicionada na região ventral (oral) e o ânus localizado na região dorsal (aboral) do corpo do animal. Os ouriços-do-mar, em particular, são bem conhecidos por possuírem um aparelho mastigatório notório, a lanterna de Aristóteles (Figura 2). Tal estrutura é formada por cinco dentes móveis interligados e conectados à um conjunto de placas ósseas.


Figura 2 - Região oral de ouriço-do-mar com destaque para Lanterna de Aristóteles.
(Autor: Wilson44691).

O sistema nervoso desses animais é formada por um anel nervoso circum-oral, ou seja, localizado ao redor da boca, logo abaixo da epiderme. Os equinodermos possuem um sistema hêmico, sistema similar ao circulatório e, consequentemente, responsável pela distribuição de nutrientes no corpo do animal, apesar de rudimentar, pois o coração é formado por duas estruturas saculiformes, o saco dorsal e o seio hêmico. 

Os equinodermos possuem um endoesqueleto calcário, assim denominado por estar localizado sob a epiderme do animal. Na sua superfície corporal, pode-se observar diversas estruturas além dos espinhos. Dentre elas, destaca-se a presença de pedicelárias e pápulas.

As pedicelárias são formadas por garras/mandíbulas que auxiliam na proteção do animal, eliminando detritos, larvas e possíveis parasitas da superfície corporal. As pápulas são projeções da superfície corporal que otimizam as trocas gasosas. Comparativamente, seria uma respiração cutânea limitadas à pontos específicos do corpo do animal.


Figura 3 - Anatomia interna de estrela-do-mar.
(Autor: CNX OpenStax).

Ao analisarmos a anatomia interna das estrelas-do-mar, destaca-se a presença de um sistema hidrovascular, formado por canais que se estendem até os braços da estrela, o sistema ambulacrário (Figura 3). Esse sistema permite a entrada de água no corpo do animal. A água entra um poro localizado na superfície aboral, denominado madreporito.

A água irá percorrer o sistema de canais, direcionando-se para os pés-ambulacrários, estruturas tubulares localizadas na região aboral do corpo do animal e que se projetam para fora do corpo por meio de sulcos que se estendem da boca até os braços, os sulcos ambulacrários. 

Os pés-ambulacrários permitem a saída da água do corpo do animal, que levará consigo excretas e gás carbônico. Desta forma, o sistema ambulacrário funciona como sistema excretor e respiratório, além de permitir a locomoção do animal graças à capacidade de grudar e desgrudar de superfícies que os pés-ambulacrário possuem. 

Os pepinos-do-mar possuem, ainda, um sistema respiratório exclusivo, a árvore respiratória. Essa estrutura está localizada no interior do corpo do animal e se comunica com a região da cloaca do animal. A água é bombeada para o seu interior por meio de contrações musculares. Lá dentro, ocorrem as trocas gasosas e, em seguida, a água será bombeado no fluxo oposto para ser eliminada do corpo do animal.

Nos braços da estrela-do-mar, podemos visualizar longas estruturas ramificadas, as glândulas digestivas. Essas glândulas estão conectadas diretamente ao estômago do animal (Figura 3).


Figura 4 - Formas larvais.
(Autor: Ernst Haeckel).

No que se refere à reprodução, alguns equinodermos podem possuir grande capacidade de regeneração, uma reprodução assexuada. Contudo, a reprodução sexuada com um desenvolvimento indireto se mostra predominantemente presente. Os equinodermos possuem diversas formas larvais (Figura 4) e estão classificados em cinco grupos principais.

Classificação dos Echinodermata

Asteroidea - Ex: Estrelas-do-mar.
Ophiuroidea - Ex: Serpentes-do-mar.
Crinoidea - Ex: Lírios-do-mar.
Holothuroidea - Ex: Pepinos-do-mar.
Echinoidea - Ex: Ouriços-do-mar.

Os ofiuroides possuem características muito semelhantes às das estrelas-do-mar. Contudo, eles possuem braços bem mais longos e articulados. Os holoturoides possuem corpo alongado e tentáculos localizados próximo à boca. Essas estruturas lhes auxiliam na alimentação, coletando detritos na areia e conduzindo-os à boca.

Os crinoides possuem bracos muito ramificados e capturam partículas de alimento dispersos na água, atuando assim, como filtradores. Os equinoides, bem como os asteroideos e ofiuroideos, são tipicamente predadores.

Finalizo aqui mais um artigo, espero ter fornecido informações importantes para a sua preparação. Bons estudos.

Referência

RUPPERT, E.E; BARNER, R. D. Zoologia dos Invertebrados. 6ª Ed. São Paulo: Roca,1996.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fisiologia | Sistema Reprodutor Feminino

Diferentemente do aparelho genitourinário masculino, o sistema feminino é destinado exclusivamente para a reprodução, pois a uretra feminina conduz apenas urina, ou seja, é uma estrutura do sistema urinário. Um canal independente é utilizado para a cópula e para a saída do feto durante o parto, o canal vaginal. Contudo, vamos iniciar nossos estudos com a anatomia externa do órgão reprodutivo feminino e, em seguida, passaremos para os órgãos internos. Na anatomia externa do sistema reprodutivo feminino, encontramos a vulva ou pudendo feminino. Esta estrutura corresponde à zona erógena do aparelho feminino, sendo formada por uma grande dobra de pele, os grandes lábios ou lábios maiores. Essa dobra de pele recobre as demais estruturas externas. Logo abaixo do grandes lábios, encontra-se uma segunda dobra de pele, os pequenos lábios ou lábios menores. No topo dos pequenos lábios é possível visualizar o clitóris, área erógena de grande sensibilidade. Os pequenos lábios recobrem a

Fisiologia | Sistema Reprodutor Masculino

O sistema reprodutor masculino ou aparelho geniturinário, é assim denominado por ser compartilhado entre dois sistemas, o genital e o excretor ou urinário. Contudo, abordaremos a porção reprodutiva neste momento. Essa porção é composta pelo pênis e o escroto, externamente, e por órgãos internos como a próstata, testículos e ductos seminais. O pênis é o órgão de cópula, possuindo em sua extremidade uma porção dilatada, a glande. No interior do pênis existem três responsáveis pela ereção, dois corpos cavernosos, localizados lateralmente e, na porção mediana, o corpo esponjoso. Este último está posicionado ao redor da uretra. Com o estímulo sexual, os três corpos se enchem com sangue, promovendo assim, a ereção do pênis. O corpo esponjoso se estende na extremidade do pênis, formando a glande. Essa região possui grande sensibilidade à estimulação sexual e está protegida por uma camada de pele denominada prepúcio. Em algumas situações, o prepúcio é muito estreito para a passagem da

Zoologia | Morfologia de Insetos

Os insetos possuem uma grande variedade de estruturas corporais que se reflete em um incrível diversificação de formas e tamanhos. Neste artigo, abordaremos essa diversidade, expondo alguns dos tipos e funcionamentos dos aparelhos bucais, tipos de antenas, asas e pernas. Figura 1 - Anatomia externa da cabeça de um inseto. (Fonte: https://bit.ly/2OgnQow). Comecemos nossa descrição com os tipos de aparelhos bucais dos insetos, os quais são formados por uma série de estruturas denominadas Apêndices Bucais que possuem sensoriais e mecânicas relacionadas à alimentação. Tipos de aparelho bucal Mastigador - Possui mandíbulas, estruturas adaptadas ao corte e que podem ser superdesenvolvidas (Figura 1). Figura 2 - Aparelho bucal sugador labial não-pungitivo (A) e pungitivo (B). (Fonte: https://bit.ly/2qfgOXv). Sugador - Possui uma Probóscide, tubo formado pela união de duas peças maxilares modificadas. Esse aparelho pode ser Não-pungitivo (Figur