Cookie Consent by Free Privacy Policy website Minuto Biológico Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Genética

Genética | Polialelia e Tipos Sanguíneos

A polialelia se caracteriza pela existência de várias alelos representantes de um mesmo gene. Normalmente existem dois, um dominante e outro recessivo. A combinação entre esses dois alelos possibilita a formação de indivíduos homozigotos dominantes, heterozigotos e homozigotos recessivos. Contudo, nos casos de alelos múltiplos , a existência de três ou mais alelos possibilita um maior número de combinações genotípicas. Figura 1 -  Cromossomos e genes. (Fonte: https://bit.ly/2Dnh0MU). Um caso típico de polialelia pode ser observado no padrão de coloração dos pelos de coelhos. Quatro alelos podem ser encontrados e, consequentemente, quatro fenótipos possíveis se manifestam. Entre os alelos existem ainda uma ordem de dominância completa. As combinações e os tipos de alelos podem ser observados na tabela abaixo. Tabela 1 - Cor dos pelos de coelhos e seus respectivos alelos e genótipos. Ordem de Dominância C > C ch > C h > c O alelo C é o dominan

Genética | Codominância e Dominância Intermediária

Situações onde há ausência de dominância completa. Quando Mendel observou a transmissão de duas características simultaneamente, percebeu que elas poderiam ser herdadas independentemente. Durante seus experimentos, Mendel observou um padrão de dominância completa entre as características, ou seja, quando cruzou plantas de ervilhas amarelas com as de ervilhas verdes, a característica amarela prevaleceu. O mesmo ocorreu com o cruzamento entre ervilhas lisas e rugosas, as lisas são dominantes. Esse padrão resultou em uma geração F2 com proporção de 3 para 1, sendo três fenótipos dominantes para um recessivo, em todos os cruzamentos realizados para avaliar as diferentes características. Contudo, um padrão de proporção fenotípica distinto foi observado. Algumas características apresentam ausência de dominância completa, ou seja, uma característica não domina a outra completamente e, como resultado, a proporção fenotípica se altera, apresentando-se com valores distintos daqueles o

Genética | Lei da Segregação Independente

Na Lei da Segregação Independente, Mendel resolveu analisar como se comportaria a herança de duas características ao mesmo tempo e, em termos modernos, ele observou que as características determinadas por genes que estão localizados em pares de cromossomos homólogos distintos segregam independentemente, ou seja, não são obrigatoriamente herdadas em conjunto. Para entender melhor a Segunda Lei de Mendel, recomento a leitura do artigo sobre a Primeira Lei aqui . Lá você entenderá o padrão experimental utilizado por Mendel e a proporção fenotípica obtida. Como dito anteriormente, Mendel realizou, nesta situação, experimentos que objetivavam acompanhar, ao mesmo tempo, a transmissão de duas características para as gerações seguintes. Para tal, utilizaremos como exemplo as características cor e textura da semente. Durante os experimentos da primeira lei, Mendel observou que a textura lisa da semente era predominante (dominante) em relação à textura rugosa, pois, sempre qu

Genética | Lei da Segregação

Um biólogo austríaco, considerado o pai da genética, é conhecido até hoje por suas importantes contribuições no campo da genética, seu nome é Gregor Michael Mendel (1822-1884), botânico, monge agostiniano e meteorologista. Graças aos experimentos que realizou, obteve informações fundamentais sobre a hereditariedade e que serviram de base para o desenvolvimento dos procedimentos genéticos atuais. Figura 1 -  Representação de moléculas de DNA.  (Fonte: https://goo.gl/DmK5yf) Em seus experimentos, Mendel (Figura 2) abordou prioritariamente a hereditariedade em ervilhas ( Pisum sativum ), as plantas que as produzem, obviamente. Mas porque utilizar ervilhas? A resposta é simples! Com essas plantas, Mendel usufruía de algumas praticidades. A primeira deles é a de que as plantas são de fácil manuseio/manutenção. Outro benefício está no grande potencial biótico da espécie, ou seja, uma grande quantidade de descendentes (ervilhas) são produzidas à cada ciclo reprodutivo.