Cookie Consent by Free Privacy Policy website Minuto Biológico Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Histologia

Histologia | Tecido Nervoso

O tecido nervoso é responsável por transferir informações entre todos os órgãos dos sistemas que compõem o nosso corpo. Esse tecido consegue levar informações de um ponto para outro à uma velocidade surpreendente. Tudo isso por meio de células especiais, os neurônios. A transmissão de informações para tecidos e órgãos dos diversos sistemas que compõem um organismo ocorre de forma extremamente eficaz graças à uma ampla rede de conexões formada por células especiais, os neurônios. Existem, ainda, as células da glia ou neuroglia, que dão sustentação proteção e nutrição aos neurônios Os neurônios são capazes de transferir informações à uma velocidade de 200m/s ou, caso prefira, à 720 Km/h. Essa capacidade se torna ainda mais incrível se levarmos em conta que todo o processo de transmissão de informações se dá por meio de substâncias químicas. Na nossa espécie, o tecido nervoso é responsável por formar todo o nosso sistema nervoso central (SNC) e periférico (SNP). O sistema nervoso central

Histologia | Tecido Muscular

Os tecidos musculares são formados por células contráteis, as fibras musculares que, por sua vez, possuem miofibrilas contráteis, sendo elas principalmente proteínas actina e miosina. A capacidade de contração das miofibrilas é o que nos permite realizar movimentos voluntários e involuntários. Dentre os movimentos voluntários, destaca-se a nossa capacidade de locomoção. Capacidade essa que nos permite andar, correr e saltar. Contudo, diversos movimentos involuntários são indispensáveis para a nossa existência, tal qual os movimentos peristálticos do sistema digestório, movimentando o alimento e as fezes no trato digestório ou, ainda, a capacidade de contração de vasos sanguíneos, propulsionando o sangue ao longo de seu percurso. Figura 1 - Organização da estrutura muscular. (Fonte: https://bit.ly/2P8uUrG ). Classificação dos tecidos musculares As fibras musculares podem ser classificadas em três: tecido muscular liso, estriado cardíaco e estriado esquelético. Os músculos lisos e estria

Fisiologia | Órgãos do Sistema Digestório

Nosso estudo sobre o sistema digestório se inicia pela boca, ou melhor, pela cavidade bucal. nessa cavidade existem várias estruturas para darmos destaque. Dentre as quais, destacam-se os dentes, língua, úvula e glândulas salivares. Os dentes são responsáveis por cortar, rasgar e triturar o alimento. Isso é possível  graças à heterodontia , ou seja, a presença de  dentes distintos, o que leva a funcionalidades diferentes. Figura 1 - Estruturas da cavidade bucal. (Fonte: Sobotta: Atlas de Anatomia Humana) Em um adulto, são encontrados 2 incisivos frontais e 2 laterais, 2 caninos, 4 pré-molares e 6 molares, tudo isso na arcada superior. Se duplicarmos esse padrão para a arcada inferior, temos um todas de 32 dentes. Os incisivos são achatados fronto-dorsalmente, ou seja, na frente e atrás. Esse formato lhes permite cortar o alimento. Já os caninos, possuem um formato pontiagudo, o que lhes permite rasgar o alimentos. Os pré-molares e molares são largos e de formata levemente cúbica, o qu

Histologia | Tecidos Ósseo e Cartilaginoso

A cartilagem está presente na constituição esquelética dos vertebrados, em alguns casos, é o principal componente (peixes cartilaginosos), em outros, é coadjuvante. Mesmo nos animais com esqueleto predominantemente ósseo, as cartilagens se fazem presentes, sendo observadas nas extremidades dos ossos, reduzindo o atrito entre as suas articulações. As cartilagens também atuam na modelagem e na sustentação de estruturas como as do septo nasal e do ouvido externo. Figura 1 - Cartilagens presentes nas extremidades de ossos longos. (Fonte: https://bit.ly/2RTCOUq ) Assim como os demais tecidos conjuntivos, o tecido cartilaginoso apresenta grande quantidade de matriz extracelular. Essa matriz é constituída por colágeno e proteoglicanos produzidos por células específicas, os condroblastos. Essas células trabalham ativamente na produção da matriz durante a sua fase jovem. Com o envelhecimento, a atividade dos condroblastos diminui, as células perdem volume, retraindo-se, passa

Histologia | Tecidos Conjuntivos

Características Gerais O tecido conjuntivo é oriundo da mesoderma, sendo fundamentalmente formado por fibras protéicas com função elástica e de resistência. A organização e composição dessas fibras varia de acordo com os tipos de tecidos em que se encontram. Além da massiva presença de fibras, os tecidos conjuntivos se caracterizam por serem vascularizados, com uma exceção, e por possuírem uma grande quantidade de matriz extracelular. Figura 1 -  Tecido conjuntivo. (Fonte:  https://static.todamateria.com.br/ ) No que se refere aos tipos de tecido conjuntivo, temos o seguinte: Classificação dos tecidos conjuntivos TC Propriamente ditos Frouxo Denso Modelado Não-modelado TC Especiais Adiposo Cartilaginoso Ósseo Hematopoietico Tecido conjuntivo propriamente dito (TCPD) Esse tecido, como o próprio nome sugere, é aquele que de fato melhor desempenha as funções de preenchimento e sustentação típicas dos tecidos conjuntivos. O TCPD pode ser

Histologia | Tecido Epitelial

A formação de tecidos está diretamente associada ao surgimento da multicelularidade, o que representa um grande sucesso evolutivo, tendo em vista que a existência dos tecidos contribui para uma divisão de trabalho, otimizando assim, as funções fisiológicas do organismo. No caso do tecido epitelial, podemos observar uma grande diversidade de funções. Dentre elas, destaca-se a função de revestimento, a mais conhecida de todas. O epitélio de revestimento está presente em vários órgãos, desempenhando uma função protetora. Contudo, alguns epitélios podem realizar outras funções como, por exemplo: absorção e secreção, também denominada como função glandular. A função de revestimento pode ser facilmente observada no maior órgão do corpo, a pele. Contudo, essa função também pode ser vista no epitélio das vias do sistema respiratório e digestório, desempenhando a função de limpeza e absorção, respectivamente. Figura 1 - Estrutura básica da pele. (Fonte: Cancer Research UK /