Cookie Consent by Free Privacy Policy website Minuto Biológico Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Zoologia

Zoologia | Phylum Nemathelminthes

Os nematódeos são vermes de corpo cilíndrico e extremidades afiladas, um corpo fusiforme, com vida livre ou parasitária. As formas de vida parasitária são especialmente estudadas tendo em vista a sua grande propagação na espécie humana, sendo causadores de doenças muito conhecidas, as verminoses. Figura 1 -  Nematódeos. (Fonte: https://planetabiologia.com/ ). Esse animais possuem corpo cilíndrico graças a presença de uma cavidade com líquido, o pseudoceloma. Por serem triblásticos pseudocelomados, esses animais utilizam o pseudoceloma como esqueleto hídrico, pois irá conferir sustentação e forma ao seu corpo.  No que se refere ao modo de vida, grande parte dos nematódeos são parasitas intestinas. Contudo, algumas espécies possuem a capacidade de se instalar em vasos sanguíneos e linfáticos dos hospedeiros. Os hospedeiros adquirem parasitas intestinais pela ingestão de ovos do verme, enquanto os parasitas sanguíneos e linfáticos são adquiridos por meio de um inseto

Zoologia | Phylum Mollusca

Os moluscos são organismos muito diversificados, ocupando ambientes terrestres e aquáticos, sejam eles marinhos ou dulcícolas. Tendo em vista essa diversificação de ambientes, os moluscos desenvolveram diferentes estratégias de sobrevivência, diferentes adaptações. Figura 1 - Conchas de moluscos.  ( Fonte: https://goo.gl/CytJ7z). Como caracterização geral, os moluscos são conhecidos por possuírem corpo mole, podendo ou não possuir uma concha que, por sua vez, pode ser interna ou externa quando presente. No que diz respeito às características embrionárias, os moluscos são animais triblásticos celomados e protostômios. Figura 2 - Molusco gastrópode com concha externa ( Fonte:  https://goo.gl/ok6c5q). O corpo deles é dividido em três partes básicas: cabeça, pé e massa visceral. Na cabeça, existem tentáculos, estruturas sensoriais, o pé pode possuir um formato de sola, de tentáculos ou, ainda, de machado. A massa visceral corresponde à toda a massa de órgãos intern

Zoologia | Phylum Annelida

Os anelídeos são animais terrestres ou aquáticos, de vida livre ou parasitários. Eles possuem corpo anelado, segmentado, o que demonstra a existência de metameria, ou seja, um corpo compartimentalizado. Essa característica afetará a organização corporal de diversos outro grupos zoológicos, inclusive nós. Figura 1 - Minhocas. (Fonte: https://goo.gl/x972zf). Além das características citadas acima, os anelídeos são triblásticos celomados e protostômios. Eles possuem simetria bilateral, pois são detentores de um sistema nervoso centralizado, formado por uma cadeia nervosa ganglionar ventral. Em cada segmento corporal do animal existe um par de gânglios (Figura 1 e 2). Figura 2 - Anatomia de anelídeo - Minhoca. (Fonte: https://goo.gl/9KRbr3). São animais de respiração cutânea ou branquial e que se utilizam de pigmentos respiratórios do sistema circulatório para realizar o transporte de gases da respiração. Em alguns anelídeos, as brânquias estão associadas aos pa

Zoologia | Phylum Echinodermata

Este filo é conhecido por uma característica marcante presente em seus representantes, um corpo repleto de espinhos. Os Echinodermata podem ser representados pelas Estrelas-do-mar, Ouriços-do-mar; Pepinos-do-mar; Serpentes-do-mar e Bolachas-da-praia. Figura 1 -  Estrela-do-mar. Os equinodermos são organismos triblásticos celomados e deuterostômios predadores, necrófagos ou filtradores. Ele possuem simetria bilateral (fase larval) e radial (fase adulta). A bilateralidade da sua simetria comprova a existência de um sistema nervoso centralizado. Contudo, a metamorfose necessária para atingir a fase adulta altera a simetria corporal do animal, que passa a ser pentarradial, ou seja, baseada em cinco, ou múltiplos de cinco, eixos de simetria. Esses animais apresentam sistema digestório completo, com a boca posicionada na região ventral (oral) e o ânus localizado na região dorsal (aboral) do corpo do animal. Os ouriços-do-mar, em particular, são bem conhecidos por possuírem

Zoologia | Phylum Chordata

Os cordados, juntamente com os equinodermos, são organismos deuterostômios. Como representantes deste grupo, destacam-se animais invertebrados (Protocordados) e vertebrados (Ciclostomados, Peixes, Anfíbios, Répteis, Aves e Mamíferos). Figura 1 -  Embrião com cauda pós-anal. (Fonte: https://goo.gl/mr6LZn). Os cordados são animais triblásticos celomados de vida livre ou parasitária (Lampreias). Esses animais podem ser aquáticos ou terrestres e apresentam diversas características embrionárias em comum, dentre as quais, podemos destacar a presença de notocorda, primeiro eixo de sustentação do embrião, estando presente apenas nessa fase da vida na maioria dos cordados. Figura 2 -  Diversidade de cordados vertebrados. (Fonte: http://voupassar.club/ ). Dentre as características embrionárias, destacam-se ainda, a presença de uma cauda pós-anal, que em algumas espécies se desenvolve em uma cauda ou rabo, enquanto em outras, como nós, regride. Os cordados possu

Zoologia | Ciclostomata e Pisces

Os agnatos ou ciclostomados são assim denominados por não possuírem mandíbula, como consequência, possuem uma boca circular. Como representantes desses animais, destacam-se as lampreias e feiticeiras (“peixe-bruxa”). Esses cordados são considerados os antepassados mais próximos dos peixes atuais e, apesar da grande semelhança, são grupos distintos. Figura 1 -  Peixe-leão. (Fonte:  https://cdn.pixabay.com/ ) Os peixes, por outro lado, são detentores de mandíbula (gnatostomados), característica que representou um grande avanço adaptativo para esses organismos, pois facilitou a captura de presas e, consequentemente, uma melhor digestão do alimento devido à mastigação. Figura 2 - Anatomia externa da lampreia. (Autor: LadyofHats). Os registros fósseis indicam que o surgimento da mandíbula nos peixes ocorreu como consequência do superdesenvolvimento dos dois primeiros arcos branquiais de seus antepassados,resultando em peixes com 5 pares de brânquias, ao invés do

Zoologia | Amphibia

Os anfíbios são assim denominados por apresentarem, em geral, um vida dividida entre dois ambientes distintos, um aquático e outro terrestre. Como representantes desse grupo, podemos citar os sapos, salamandras e as cecílias (“cobras-cegas”). Estas últimas, apesar de popularmente conhecidas como cobras-cegas, não são cobras e, nem muito menos cegas. Cobras pertencem ao grupo dos répteis e logo serão abordadas no próximo artigo. Lembre-se que anfíbios são cordados e que possuem um grande quantidade de característica já listadas no artigo anterior. Caso não tenha lido o texto sobre os cordados, o faça clicando aqui . As informações citadas lá não serão redundantemente repetidas aqui, pois enfatizaremos apenas as características gerais que os diferenciam dos demais grupos de cordados. Figura 1 - Visão lateral (perfil) de um sapo. Os anfíbios se apresentam como o grupo de vertebrados tetrápodos (Figura 1) que primeiro conquistou o ambientes terrestre, apesar de estarem

Zoologia | Reptilia

Os répteis são o primeiro grupo de vertebrados que definitivamente conquistou o ambiente terrestre. Isso só foi possível graças à diversas características que promoveram a sua adaptação. Dentre elas, destacam-se o desenvolvimento da respiração pulmonar, um corpo revestido por escamas e o surgimento de um ovo com casca. O grupo anterior (anfíbios), há uma grande dependência de água para a reprodução. Isso ocorre devido a existência de uma reprodução externa e a formação de um ovo sem casca, que sofreria desidratação severa em ambiente terrestre. Contudo, algumas espécies de anfíbios desenvolveram estratégias diferentes. Anfíbios podem ser encontrados em florestas úmidas, à quilômetros de rios ou lagos. Isso é possível graças à utilização de água que se acumula em bromélias, um vegetal epífito. Outras espécies desenvolveram um muco gelatinoso que envolve os ovos, mantendo assim, a hidratação. Figura 1 - Ovos com casca e filhote de jacaré. (Fonte:  Wikimedia Commons

Zoologia | Aves

Aves são detentoras de incríveis características que demonstram sua total adaptação ao voo. Todas as características nitidamente convergem para uma função principal, a redução do peso. O menor peso, juntamente com o desenvolvimento das penas, possibilitou às aves uma incrível forma de se movimentar. Figura 1 - A incrível capacidade de voar. (Fonte: https://bit.ly/2QjrTlw). Dentre as adaptações ao voo observadas em aves, destacam-se: surgimento de penas, esterno em quilha, ossos pneumáticos, bico sem dentes, ausência de bexiga e oviparidade. A capacidade de por ovos com casca, bem como a presença de penas, surgiram com os répteis e, por isso, são apomorfias. A presença de penas em répteis pode ser observada em fósseis como o Archeopteryx lithographica (Figura 2). Figura 2 - Archeopteryx lithographica . (Fonte: https://bit.ly/2JCBUI9). Além do voo, as penas auxiliam na regulação térmica desses animais, podendo estar modificadas para diferentes condições

Zoologia | Mammalia

Os mamíferos são incríveis animais que se alimentam de leite durante a infância, podendo ser encontrados nos mais diversos tipos de ambientes, seja ele aquático ou terrestre. Algumas espécies de mamíferos podem até mesmo voar. A produção de leite é, definitivamente, a principal característica desse grupo tão diverso. O leite é produzido pelas glândulas mamárias, estruturas exclusivas desse grupo de organismos. Entretanto, diversos outros tipos de glândulas podem ser observadas nos mamíferos. Dentre elas, destacam-se as glândulas sudoríparas, sebáceas, odoríferas e muitas outras. Algumas dessas glândulas podem se apresentar de forma mais enfática do que outras, dado o modo de vida de cada espécie. Figura 1 - Mamífero aquático. (Fonte: pixabay ) As glândulas odoríferas, por exemplo, possuem funções tipicamente relacionadas à sinalização química relativa à demarcação de território, atração de parceiros sexuais e liderança. Outra característica muito comum em mamífer